segunda-feira, 2 de março de 2009

Cineclube bancários abre a temporada de 2009

Ana Rita Gondim
Do Correiobraziliense.com.br

Assistir a filmes brasileiros e poder debater em seguida com entendidos do assunto parece um sonho para quem aprecia a sétima arte. Ainda mais quando a exibição é de graça. Mas, contrariando a lógica, o Cineclube Bancários abre temporada nesta segunda-feira (02/03), às 20h, pelo terceiro ano consecutivo, com exibições gratuitas e bate-papos inteligentes.

As sessões do mês de março foram escolhidas para homenagear as mulheres devido à comemoração do Dia Internacional da Mulher (08/03). Para o primeiro dia de exibição, foi eleito o clássico Todas as mulheres do mundo, longa-metragem de Domingos Oliveira, com Leila Diniz e Paulo José no elenco.

O filme, de 1967, é baseado no relacionamento do cineasta com Leila Diniz. Trata-se do jornalista bon vivant Paulo (Paulo José), que pretende interromper as suas constantes paqueras nas praias cariocas para viver uma história com apenas uma mulher após encontrar o seu verdadeiro amor, Maria Alice (Leila Diniz).

Compromisso com o público
O projeto contabiliza desde a sua criação, em agosto de 2007, mais de 50 sessões com cerca de 90 filmes exibidos (curtas e longas-metragens) e com aproximadamente 7.500 espectadores no total. A produtora cultural Ana Arruda alegra-se com o respaldo do público. “O que propomos é uma solução ativa, que está funcionando. No projeto, as pessoas não ficam passivas, têm um contato direto e constante, pois o projeto é semanal, não é efêmero. A gente tem um compromisso com o público e com o cinema”.

A proposta de difundir o cinema nacional gratuitamente surgiu do próprio Sindicato dos Bancários e, segundo Ana Arruda, era uma ideia planejada há mais de uma década. Em 2009, o projeto completa três anos e promete ficar. “É muito bacana, temos um público fiel, a maioria das pessoas permanece na sala. São cinéfilos de plantão. Mas os espectadores também variam conforme o filme”, conta Ana Arruda.

Publicado no Divirta-se

2 comentários:

Jasão disse...

;-)

sempre assim: depois de algo ruim, vem algo grandioso!

um bjO

Ana Rita Gondim disse...

Se grandioso ou não, pelo menos, tem me feito bem, em contraposição ao "algo ruim". C'est la vie, mon ami!
Beijos!