terça-feira, 24 de março de 2009

Em seu segundo concerto, Orquestra Sinfônica homenageia o austríaco Haydn

Ana Rita Gondim
Do Correiobraziliense.com.br

Esta terça-feira (24/03) é dia de homenagem na sala Villa-Lobos do Teatro Nacional. A segunda apresentação desta nova temporada da Orquestra Sinfônica irá celebrar os 200 anos de falecimento do grande compositor austríaco Franz Josef Haydn (1732-1809). Além de um dos maiores nomes da música erudita, ele é considerado o iniciador do classicismo vienense.

No currículo do austríaco, estão 104 sinfonias, 50 sonatas para piano e 83 quartetos de cordas. O maestro titular da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro (OSTNCS), Ira Levin, explica que serão apresentados os vários aspectos do compositor. “É muito difícil escolher uma música dele entre tantas que compôs”. Para hoje, então, foram escolhidas As Sete Últimas Palavras de Nosso Senhor na Cruz, op. 51; Sinfônica n° 102, O Relógio e o Concerto para violoncelo e orquestra n° 1, que tem como solista Antonio Del Claro.

Del Claro é um dos mais conhecidos artistas brasileiros de sua geração e presença constante nas salas de concerto do Brasil. Foi spalla de violoncelos da Orquestra do Teatro Municipal de São Paulo e da Orquestra da Universidade de São Paulo (USP). Faz parte do Trio Américas, com Eva Székely (violino, EUA) e Daniel Schene (piano, EUA), que realiza turnês pelos Estados Unidos e pelo Brasil. Obteve o primeiro prêmio no Concurso de Verão de Taormina, além de receber por três vezes o prêmio de Melhor Solista da Associação Paulista de Críticos de Arte e também o Prêmio Carlos Gomes como Melhor Solista Instrumental.

O maestro Ira Levin garante que este ano a temporada será ainda mais rica. “Apresentaremos várias obras que nunca foram feitas no Brasil. Temos muitas novidades, muitos convidados, tanto internacionais como brasileiros”, promete. O destaque de 2009 fica para a data do aniversário de Brasília, no dia 21 de abril, com apresentação de obras dos compositores brasileiros Heitor Villa-Lobos e Camargo Guarnieri. Para a regência, estão previstos também outros maestros, como Gil Jardim, Lutero Rodrigues e Emílio de Cesar.

A apresentação será hoje, às 20h, na sala Villa-Lobos do Teatro Nacional. A entrada é franca, mas os ingressos devem ser retirados na bilheteria com antecedência. Classificação indicativa: 12 anos.

Exposição
Além da homenagem prestada pela OSTNCS, Haydn também será celebrado em exposição documentária com 42 painéis trazidos pela Embaixada da Áustria. Ela estará aberta ao público na quarta-feira no foyer da sala Villa-Lobos. A entrada é franca. Classificação indicativa livre.

PROGRAMA:

Joseph Haydn (1732-1809)

“As Sete Últimas Palavras de Nosso Salvador Jesus Cristo na Cruz”
Hob. XX.1
- Introduzione – Maestoso ed adagio em ré menor
- Sonata I – Largo em si bemol maior
- Sonata VII – Largo em mi bemol maior
- Il Terremoto – Presto con tutta la forza em dó menor

Concerto para violoncelo em dó maior Hob. VIIb.1
- Moderato
- Adagio
- Allegro molto
Antonio Del Claro - VioloNcelo

Sinfonia n° 102 em si bemol maior
- Largo – Vivace
- Adagio
- Menuet (Allegro)
- Finale (Presto)
Maestro: Ira Levin
Solista: Antonio Del Claro

Publicado no Divirta-se

Um comentário: